Arquimedes
Arquimedes

Impacte ambiental

Impacte ambiental. Análise do ciclo de vida

Impacte ambiental. Análise do ciclo de vida é um módulo dos Geradores de orçamentos e do Arquimedes. Este módulo é uma ferramenta informática que calcula o impacte ambiental originado pela construção de uma obra de edificação, desde as etapas de obtenção das matérias primas utilizadas, até ao final do processo de construção; possibilita avaliar rapidamente a variação do impacte ambiental que qualquer alteração das unidades de obra do projeto implica e, assim, decidir objetivamente quais as alterações que se podem efetuar para minimizar o impacte. O programa oferece nove indicadores ambientais para realizar esta avaliação.

Está previsto que numa futura versão o módulo de Impacte ambiental – Análise do ciclo de vida contemple as etapas Utilização do produto (utilização, manutenção e reparação) e Fim de vida (demolição e gestão de resíduos), de modo a poder avaliar o ciclo de vida de uma edificação na sua totalidade.

Definições

Indicadores de impacte ambiental

O programa disponibiliza sete indicadores para realizar a avaliação de impacte ambiental:

Descrição do indicadorAbreviaturaUnidades
Potencial de aquecimento globalGWPkg CO2 eq.
Potencial de depleção da camada do ozono estratosféricoODPkg CFC-11 eq.
Potencial de acidificação do solo e da águaAPkg SO2 eq.
Potencial de eutrofizaçãoEPkg (PO4)3- eq.
Potencial de formação do ozono troposféricoPOCPkg etileno eq.
Potencial de depleção para os recursos abióticos não fósseisADPEkg Sb eq.
Potencial de depleção para os recursos abióticos fósseisADPFMJ

Uso de recursos

O programa disponibiliza três usos de recursos para realizar a avaliação de impacte ambiental:

Descrição do indicadorAbreviaturaUnidades
Uso total de energia primária renovávelPERTMJ
Uso total de energia primária não renovávelPERNRTMJ
Utilização do valor líquido de água doceFWm3

Sustentabilidade

O termo sustentabilidade ou desenvolvimento sustentável, é um conceito utilizado em diversos campos da atividade humana. Define-se o termo sustentável como “Que se pode manter durante um longo tempo sem esgotar os recursos ou causar graves danos ao meio ambiente”.

Aplica-se ao desenvolvimento socioeconómico e foi formalizado pela primeira vez no documento conhecido como Relatório Brundtland (1987), fruto dos trabalhos da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas, criada em Assembleia das Nações Unidas em 1983.

O desenvolvimento sustentável é definido pelo seu objetivo: “Satisfazer as necessidades das gerações atuais sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades”. Esta definição encontra-se no Princípio 3 da Declaração do Rio (1992).

De forma resumida, podemos concluir que se trata de satisfazer as necessidades do presente sem por em risco os recursos do futuro.

Construção sustentável (impacte ambiental)

É uma conceção do projeto da construção de forma sustentável, procurando o aproveitamento dos recursos naturais com o objetivo de minimizar o seu impacte sobre o meio ambiente e os seus habitantes.

A construção sustentável baseia-se na correta utilização, gestão e reutilização dos recursos naturais e da energia disponível, durante o processo de construção e a posterior utilização do edifício, aplicando para isso a Análise do Ciclo de Vida (ACV) como ferramenta ambiental.

A importância de apostar por uma construção sustentável é apoiada por recentes estudos, que confirmam que o sector da construção é responsável da utilização da ordem de 36% do total da energia consumida e, em particular, de 65% do consumo de energia elétrica, sem esquecer o impacte que produz sobre o meio ambiente, o consumo de matérias primas, as emissões de gases de efeito estufa, a geração de resíduos e o consumo de água potável, tal como mostra o gráfico seguinte:

Análise do Ciclo de Vida

A Análise do Ciclo de Vida (ACV) é uma ferramenta que estuda e avalia o impacte ambiental de um produto ou serviço durante todas as etapas da sua existência, estabelecendo um balanço ambiental com objetivo de conseguir um desenvolvimento sustentável.

Etapas do ciclo de vida de uma edificação

Tendo em consideração a classificação e a nomenclatura incluída nas normas NP EN ISO 14040 e NP EN ISO 14044, são estabelecidas quatro etapas no ciclo de vida de uma construção:

  • Produto: A1 – A3
    • Extração de matérias primas (A1)
    • Transporte para a fábrica (A2)
    • Fabricação (A3)
  • Processo de construção: A4 – A5
    • Transporte do produto (A4)
    • Processo de instalação do produto e construção (A5)
  • Utilização do produto: B1 – B7
    • Utilização (B1)
    • Manutenção (B2)
    • Reparação (B3)
    • Substituição (B4)
    • Reabilitação (B5)
    • Utilização da energia operacional (B6)
    • Utilização da água operacional (B7)
  • Fim de vida: C1 – C4
    • Desconstrução e demolição (C1)
    • Transporte (C2)
    • Gestão de resíduos para reutilização, recuperação e reciclagem (C3)
    • Eliminação final (C4)

A versão atual do módulo de Impacte ambiental – Análise do ciclo de vida da CYPE contempla as duas primeiras etapas: Produto (A1, A2 e A3) e Processo de construção (A4 e A5).

Funcionamento do módulo Impacte ambiental – Análise do ciclo de vida

Impacto ambiental – Análise do ciclo de vida é um módulo dos Geradores de orçamentos e do Arquimedes. Os Geradores de orçamentos são umas ferramentas informáticas que com dados básicos fornecidos pelo utilizador e com as otimizações que o utilizador deseje realizar através do seu ambiente gráfico, geram automaticamente p orçamento e a medição de uma obra de edificação (com estrutura de capítulos, detalhe de artigos e medição detalhada), obtendo os dados do Gerador de preços da CYPE. Os Geradores de orçamentos proporcionam ainda outros documentos, para além do orçamento e da medição, como o documento onde se define, quantifica e justifica a Análise do ciclo de vida do edifício

Para gerar este documento o módulo de Impacte ambiental – Análise do ciclo de vida obtém a informação do Gerador de preços da CYPE que inclui, em cada unidade de obra:

  • O potencial de aquecimento global (GWP)
  • O potencial de depleção da camada do ozono estratosférico (ODP)
  • O potencial de acidificação do solo e da água (AP)
  • O potencial de eutrofização (EP)
  • O potencial de formação do ozono troposférico (POCP)
  • O potencial de depleção para os recursos abióticos não fósseis (ADPE)
  • O potencial depleção para os recursos abióticos fósseis (ADFP)
  • O uso total de energia primária renovável (PERT)
  • O uso total de energia primária não renovável (PERNRT)
  • A utilização do valor líquido de água doce (FW)

Os valores de todos estes parâmetros são resultado da colocação em obra de cada unidade de obra, desde as etapas de fabricação (A1, A2 e A3) até às de Construção (A4 e A5), e estão decompostos por materiais, embalagens, maquinaria, meios auxiliares e resíduos. Esta informação pode ser consultada no separador “Indicadores de impacte ambiental” de cada unidade de obra.

Este pormenor e decomposição dos indicadores de impacte ambiental de cada unidade de obra, nas etapas indicadas, permite obter com grande precisão uma análise do ciclo de vida de uma obra de edificação. Na secção Justificação da determinação da ACV, do documento Análise do Ciclo de Vida gerado pelo programa, pode consultar a proveniência dos dados fornecidos pelo Gerador de preços.

Para que os Geradores de orçamento gerem o documento Análise do Ciclo de Vida, é apenas necessário que a licença possua o módulo Impacte ambiental – Análise do ciclo de vida. Se a geração do documento Análise do Ciclo de Vida for realizada a partir do Arquimedes é necessário também dispor da licença para o Arquimedes e do módulo Ligação com o Gerador de preços.

Resultados obtidos e avaliação

O documento Análise do Ciclo de Vida, gerado pelos Geradores de orçamentos disponibiliza, como resultado, os potenciais de aquecimento global (GWP), de depleção da camada de ozono estratosférico (ODP), de acidificação do solo e da água (AP), de eutrofização (EP), de formação de ozono troposférico (POCP), de depleção para os recursos abióticos não fósseis (ADPE), de depleção para os recursos abióticos fósseis (ADFP), o uso total de energia primaria renovável (PERT), o uso total de energia primária não renovável (PERNRT) e a utilização do valor líquido de água doce (FW) totais da obra de edificação com detalhe por capítulos, durante as etapas de fabricação (A1, A2 e A3) e Construção (A4 e A5). Estes resultados expressam-se em tabelas e gráficos de barras.

O utilizador pode consultar rapidamente a análise realizada no referido documento e, se assim o entender, proceder a alterações das soluções construtivas que considere oportunas. Seguidamente, pode voltar a gerar rapidamente o documento Análise do Ciclo de Vida e observar as variações face aos anteriores indicadores de impacto ambiental calculados, que resultam das alterações das soluções construtivas realizadas.

Justificação da determinação da Análise do Ciclo de Vida realizada pelo programa

O documento Análise do Ciclo de Vida gerado pelos Geradores de orçamentos ou pelo Arquimedes inclui um Anexo onde se justifica detalhadamente a determinação da ACV do produto (A1, A2 e A3), o transporte do produto (A4) e o processo de instalação do produto e construção (A5). Cada uma destas fases inclui:

  • A definição da fase
  • Os pressupostos
  • O processo de cálculo
  • As fontes consultadas

Outras funcionalidades

A fim de ter acesso a outras funcionalidades oferecidas pelo programa, existem vários módulos que podem ser encontrados na página “Módulos do Arquimedes“.