CYPESOUND RRAE

Historial de atualizações

Com base na "Portaria n.º 35-A/2022", a qual aprova as normas técnicas que definem as condições de instalação e funcionamento a que devem obedecer os alojamentos para estudantes do ensino superior, e tendo em conta o ponto 8.1 Conforto acústico dessa mesma portaria, foi acrescentado um novo tipo de edifício (“Edifícios residenciais para estudantes segundo a Portaria n.º 35-A/2022”) e implementadas as verificações acústicas correspondentes. Serão verificados os valores limites de isolamento sonoro a sons de condução aérea proveniente do exterior ou de outros compartimentos interiores do edifício, isolamento sonoro a sons de percussão, nível de avaliação sonora produzida por equipamentos do edifício e tempo de reverberação.

Para o cumprimento dos requisitos acústicos, além de indicar o tipo de edifício, é necessário especificar os seguintes parâmetros gerais:

  • Exterior
    Indicar o tipo de zona acústica em função da classificação presente no Artigo 11.° do Regulamento Geral do Ruído. Utiliza-se para determinar o valor mínimo de isolamento a sons de condução aérea exterior.
  • Tipo de ruído dominante de emissão
    Indicar o tipo de ruído dominante de emissão no exterior, ruído rosa (C) ou ruído de tráfego rodoviário urbano (Ctr).
  • Reabilitação de edifícios residenciais para estudantes segundo a Portaria n.º35-A/2022 e a Portaria n.º 305/2019
    Ativar esta opção no caso de se tratar de um edifício existente utilizado para residência de estudantes, que será objeto de intervenções de renovação ou adaptação, em que existam condicionantes determinadas pela preexistência, podem ser aplicados os critérios de redução de exigências acústicas, nos termos constantes da Portaria n.º 305/2019, de 12 de setembro, mediante fundamentação do projetista, sujeita a apreciação pela entidade competente para aprovação do projeto.
  • Edifício servido por ascensores
    Ativar esta opção no caso do edifício possuir ascensores.

A partir da versão 2023.e, algumas aplicações da CYPE passam a possuir um novo sistema de janelas ancoráveis que substitui a anterior interface da janela principal. Agora o utilizador pode personalizar o espaço de trabalho adaptando-o às suas necessidades.

Na parte final desta novidade encontra-se a lista de aplicações que possuem este novo sistema de janelas ancoráveis. O número de aplicações que dispõe deste novo sistema irá aumentar em futuras versões.

As janelas ancoráveis podem-se reposicionar e modificar de tamanho. Podem ser flutuantes, ancorar-se numa posição da interface da aplicação ou arrastar-se para fora desta, inclusivamente podem serem arrastadas para outro monitor.

  • Mover janelas
    Para mover uma janela ancorada pode-se clicar sobre a barra de título localizada na parte superior desta e arrastá-la.

    Ao arrastrar uma janela ancorável surgem várias ajudas visuais para facilitar o seu reposicionamento. Junto ao cursor, aparece uma descrição com o título da janela ancorável que se está a reposicionar. Ao aproximar o cursor do bordo de outra janela aparecerá um painel que permite pré-visualizar o espaço que ocupará.

    É possível não acorar a janela em nenhuma outra e deixá-la como uma janela flutuante, assim como ancorar janelas dentro de uma janela flutuante. Ao manter premida a tecla CTRL evita-se que uma janela flutuante seja ancorada enquanto se está a arrastar.

  • Agrupar janelas
    É possível agrupar várias janelas no mesmo espaço arrastando uma janela para o canto superior esquerdo, ou para o canto inferior esquerdo de outra. Depois disso aparecerão separadores na parte inferior ou superior do grupo que permitem ao utilizador alternar entre as janelas agrupadas. No caso dos separadores se encontrarem na parte inferior, o título do agrupamento será o da janela ativa nesse momento. No caso contrário, quando os separadores se encontram na parte superior, estes passam a atuar como título.

  • Mostrar/ocultar janelas
    No canto superior direito de cada janela podemos encontrar um ícone para fechar essa janela.

    Para configurar a visibilidade das janelas ancoráveis da interface do utilizador, foi adicionado o botão “Janela” (), localizado junto ao botão “Configuração geral” (posicionados na parte superior direita do programa). Clicando sobre este novo botão surge um menu contextual com as janelas ancoráveis disponíveis onde o utilizador pode alterar o seu estado. Encontra-se também disponível a opção “Restaurar a disposição de janelas” que permite recuperar a disposição por defeito.

    Em alguns casos não é possível ocultar a janela, como é o caso da “Área de trabalho” das aplicações com ambiente 3D. Nesses casos, não aparece o botão para fechar a janela e no menu “Janela” () a "Área de trabalho" aparecerá bloqueada.

  • Minimizar janelas
    Ao colocar várias janelas ancoráveis em disposição vertical, aparece um botão, junto ao de fechar, que permite minimizar ou maximizar cada janela. Ao maximizar a janela, esta recuperará o tamanho anterior que tinha.

A disposição de janelas e a configuração da sua visibilidade são guardadas ao sair da aplicação. 

Note-se que nem todas as janelas flutuantes de uma aplicação são janelas ancoráveis. Para as diferenciar, foi adicionado o ícone na barra de título das janelas que são ancoráveis.  

As aplicações seguintes já possuem o novo sistema de janelas ancoráveis na versão 2023.e:

  • AcouBAT by CYPE
  • CYPE Architecture
  • CYPE Connect
  • CYPEFIRE
  • CYPEHVAC Hydronics 3D
  • CYPEPLUMBING Water Systems
  • CYPESOUND
  • CYPESOUND RRAE
  • CYPETHERM LOADS
  • Open BIM Analytical Model
  • Open BIM Construction Systems
  • Open BIM COVID-19
  • Open BIM Layout
  • Open BIM Lightning
  • Open BIM Quantities
  • Open BIM Site
  • StruBIM Steel
  • O separador "Orçamento", disponível em várias aplicações, também já dispõe do novo sistema de janelas ancoráveis.

De acordo com a "Portaria 305/2019" para a reabilitação de edifícios habitacionais, foi implementada a opção de redução dos limites exigidos pelo "RRAE" de isolamento a sons aéreos e de percussão, assim como, do nível de avaliação sonora proveniente do ruído de equipamentos.

As modificações que o utilizador pode aplicar são as seguintes:

  • Operações de reabilitação de edifícios ou frações, total ou predominantemente afetos ao uso habitacional, definidas pelo DL 95/2019 Art. 12.°, com aplicação das normas técnicas estabelecidas pela Portaria 305/2019. Aplica-se uma redução de 3 dB às exigências acústicas estabelecidas nas alíneas b) a g) do n.°1 do artigo 5.° do RRAE.
    • As intervenções ocorrem em elementos de fachada e não implicam a substituição dos elementos de caixilharia e/ou envidraçados existentes. Aplica-se uma redução de 3 dB às exigências acústicas estabelecidas na alínea a) do n.°1 do artigo 5.° do RRAE.
    • Sempre que a intervenção de reabilitação de um elemento construtivo pressuponha a manutenção integral da solução preexistente e mediante a devida fundamentação, aplica-se uma redução adicional de 2 dB, à redução de 3 dB relativa às exigências acústicas estabelecidas nas alíneas b) a g) do n.°1 do artigo 5.° do RRAE.
    • Sempre que não sejam realizadas intervenções nos elementos construtivos preexistentes, as exigências estabelecidas na alínea h) do n.°1 do artigo 5.° do RRAE, relativas ao nível de ruído de equipamentos coletivos do edifício, podem ter uma redução de 3 dB(A).

A partir da versão 2019.f, o CYPESOUND é capaz de determinar o isolamento acústico dos tipos de soluções construtivas definidas na obra, através da aplicação de metodologias estimativas como a Lei experimental da massa e frequência. Para cada elemento (paredes exteriores e interiores, lajes…) é possível introduzir diretamente os parâmetros acústicos que o caraterizam (como se fazia até agora), ou indicar que estes sejam determinados através de uma descrição simplificada ou por camadas de materiais.

Em todos os programas CYPESOUND (CYPESOUND, CYPESOUND CTE, CYPESOUND NRA, CYPESOUND RRAE e CYPESOUND DRAPDE) e no AcoubatBIM by CYPE, foi implementada a opção de “Exportar” para IFC no grupo “Modelo BIM” da barra de ferramentas. Esta opção permite integrar no projeto BIM as listagens da obra em formato “pdf”. Estas listagens podem ser visualizadas diretamente a partir da plataforma BIMserver.center e a partir das suas aplicações móveis para Android e iOS.

Quando os programas da CYPE de térmica e acústica importam um ficheiro IFC que não apresenta informação de contiguidades, analisam o ficheiro e a disposição dos compartimentos para detetar que compartimentos encontram-se adjacentes e obter as contiguidades.

Em versões anteriores as contiguidades incluem-se automaticamente no ficheiro IFC que gera o programa IFC Builder (aplicação gratuita da CYPE concebida para a criação e manutenção de modelos IFC de edifícios) já que esta ferramenta as gera. Outros programas CAD/BIM (como Allplan®, Archicad®, Revit®...) não exportam para IFC esta informação, pelo que, se estiver utilizando como ferramenta iniciadora do modelo Open BIM, as contiguidades devem ser definidas pelo utilizador em cada uma das aplicações especializadas de térmica e acústica.

Com esta importante novidade da versão 2018.j, as contiguidades são incluídas nos programas de térmica e acústica da CYPE independentemente do programa CAD/BIM de modelador geométrico do projeto Open BIM.

Seguidamente, enumeram-se os programas de térmica e acústica da CYPE beneficiados desta implementação:

Na versão 2018.g dos programas CYPESOUND implementou-se a funcionalidade de ler e interpretar as fontes de ruído interiores definidas num ficheiro IFC incluído no modelo BIM. Agora realiza-se a mesma tarefa para os equipamentos exteriores como as unidades exteriores dos sistemas VRF, Multisplit e Split 1x1. Estes dispositivos podem ser introduzidos no modelo BIM através do programa de desenho e dimensionamento de instalações de climatização CYPETHERM HVAC.

Durante o processo de importação, a aplicação calcula automaticamente os valores dos parâmetros r (distância entre a fonte e a parede mais próxima de cada compartimento afetado) e D (fator de direccionalidade -Q- da máquina) correspondentes a cada equipamento, que dependem da posição da fonte e da geometria do edifício.

Melhorou-se a forma de definir equipamentos exteriores ao edifício. Agora, em vez de ter que indicar a presença da fonte sonora exterior em cada compartimento afetado, existe um novo ponto no separador "Modelo" do esquema em árvore do edifício, onde é possível introduzi-los de uma só vez.

Para cada equipamento exterior deve indicar a sua tipologia, fator de direccionalidade (Q) e os diferentes compartimentos afetados juntamente com o valor da distância à parede mais próxima de cada compartimento (r).

A partir da versão 2017.c, CYPESOUND, e as suas versões específicas para alguns países, importam de um modelo BIM o ruído produzido pelas aberturas nos sistemas de ventilação. Depois, o utilizador necessita de indicar as restantes características que especificam o ruído produzido por estas aberturas num compartimento.

A partir da versão 2017.e, CYPESOUND, CYPESOUND CTE (Espanha), CYPESOUND RRAE (Portugal), CYPESOUND NRA (França) e CYPESOUND DRAPDE (Itália), calculam automaticamente os parâmetros "r" (raio da maior esfera que pode ser inscrita no compartimento) e "D" (fator de direccionalidade da fonte) das grelhas e difusores. Deste modo, facilita a obtenção do ruído gerado pelas redes de condutas HVAC nos compartimentos.

O cálculo realiza-se durante a importação destes elementos, a partir de ficheiros IFC, pelo que é necessário que a obra do CYPESOUND os importe do modelo BIM (estando a obra vinculada a um modelo BIM ou, se tenha optado por importar o modelo BIM sem manter a vinculação). Logicamente, o modelo BIM importado deve incluir o desenho das instalações de condutas para aquecimento, ventilação e ar condicionado. CYPETHERM HVAC permite exportar para o modelo BIM essas instalações.

Foi implementada a possibilidade de importar o ruído produzido pelos elementos terminais de condutas do sistema de climatização instalado no edifício. Em virtude do CYPESOUND ser uma aplicação integrada no fluxo de trabalho Open BIM, esta operação é possível de ser realizada através dos ficheiros de informação IFC. Para isso, os parâmetros acústicos devem poder ser exportados previamente para IFC por outro software que também trabalhe com esta tecnologia como é o caso do CYPETHERM HVAC, o programa de dimensionamento de instalações de aquecimento, ventilação e ar condicionado da CYPE.

Uma vez finalizado o processo de integração, o utilizador terá a possibilidade de editar os dados introduzidos automaticamente e as restantes características que especificam o ruído gerado pela instalação de climatização.

Cálculo acústico e verificação do isolamento a sons aéreos e de percussão, área de absorção sonora e tempo de reverberação, e o nível de avaliação sonora proveniente do ruído de equipamentos, de acordo com o Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios (DL nº96/2008) e as normas de cálculo EN 12354 (ISO 15712). Esta aplicação está integrada no fluxo de trabalho Open BIM através do standard IFC.

Características:

  • Integração no fluxo de trabalho Open BIM
  • Verificação dos requisitos acústicos do edifício dispostos no Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios (DL nº96/2008) a partir do modelo de cálculo definido nas normas EN 12354 (ISO 15712):
  • Avaliação do grau de incomodidade pelo exercício de atividades ruidosas permanentes em zonas mistas, em torno das zonas sensíveis ou mistas e nas proximidades dos recetores isolados sensíveis de acordo com o Regulamento Geral do Ruído (DL n.º 9/2007).
  • Fichas justificativas

Mais informação.